Substância; 35x 11x 10cm; Madeira; 2015  / Substância35x 12x 10cm; Madeira; 2015

 

Instalação de "Pleno" nPedreira do Monte da Nossa Sr.ª da Paz, Amares. 

 

 

 Sólidos: mármore; dimensões variáveis; 2014

Fotografia: Pedro Guimarães

 

 

Repouso; Mármore, aço inoxidável; 52x 50x 7cm; 2014

                                                                                                                                                                                                                         Fotografia: Pedro Guimarães

 

Ensaio sobre a luz: madeira, tecido, outros; dimensão indefinida; 2013 

* Ensaio sobre a luz  é uma tela de projecção/penetrável.  

 

 

Lugar; terra, madeira, outros; dimensão indefinida; 2012

Com/with Álvaro de Brito. 

 

 

"Vala Comum": madeira, silicone, borracha, metal, ar; dimensão indefinida; 2012

 

 Sobre a exposição Concrete Mirrors

 

Espelho de cimento / espelho concreto



 

Atendendo à dualidade de significados que o título da exposição “Concrete mirror” possui, a relação do espectador com o espaço da Crypt Gallery potencia a reflexão de uma imagem virtual de si.



O duplo sentido literal “espelho concreto”/ “espelho de cimento” apresenta-se-nos como duas figurações interligadas, no entanto, a aproximação do título ao espaço da exposição subverte a analogia que parece existir – Se por um lado a projeção de um “espelho de cimento” continua a não perder o lado opaco da existência material, por outro, a ideia de “espelho concreto” (que outrora nos remetia para o lado táctil da existência física) aqui contextualizada no ambiente da cripta, resvala na imaterialidade da inquietação humana que é deixar de existir. O nosso reflexo evoca a autoridade do espaço que parece fazer tábua rasa de todos nós, dizendo-nos: um dia morrerás.



“Vala comum” pode remeter para a reflexão sobre os limites e transitoriedade do espaço. 


Fernando Roussado

  About the exhibition Concrete Mirrors

 

Concrete mirror / factual mirror



 

The duality of meanings implicit on the exhibition title “Concrete mirror” affects the relationship of the viewer with the Crypt Gallery and empowers a virtual image of him.



These two meanings - “factual mirror” and “concrete mirror” - are presented as two interconnected concepts, however, the mingle of the title on the exhibition space subverts the analogy that seems to exist – On the one hand the projection of a "concrete mirror" continues not to lose the dull side of material existence, on the other hand, the idea of ​​a “factual mirror" (connected with physical existence), here contextualised in the environment of the crypt, slips on the immateriality of the human restlessness which is ceasing to exist. Our reflection in the crypt surface evokes its authority that seems to remind us about our condition, telling us: one day you will die.



"Mass Grave" may promote a reflection about transience and the boundaries of space. 


Fernando Roussado

Capela dos ossos - Evora  

Cripta da igreja de Saint Pancreas - Londres

 

 

"Pleno": mármore, madeira; aprox. 32x 26x 10 cm; 2011

 

 "Binário": mármore, madeira, outros; aprox. 54x 30x 30cm; 2011

                                                                                                                                                                                                                                                                      Fotografia: Magda Delgado

 

 "Binário (gravura)": vidraço; 32x 40x 3cm; 2011

                                                                                                                                                                                                                                                                       Fotografia: Magda Delgado

 

Pleno (nível X); mármore, ferro; 30x 30x 30cm; 2011

 

 

Pleno; mármore, ferro; 78x 28x 26cm; 2011

 

 

Pleno: mármore, ferro; 230x 45x 45cm; 2010

 

Pleno (Fenómeno nr. 2)": mármore, pedra, terra, outros; aprox. 180x 300x 400cm; 2008

 

Make a free website with Yola